Indígenas representam 1,1 mil professores em formação no Amazonas

Portal Amazônia, com informações da Seind

http://www.portalamazonia.com.br/secao/noticias/amazonas/2011/08/22/indigenas-representam-11-mil-professores-em-formacao-no-amazonas/

MANAUS – A educação ainda é um dos maiores desafios dos povos indígenas em toda a Amazônia. Entretanto, desde que a Convenção 169 da Constituição Federal de 1988 fundamentou as políticas de governo direcionada aos indígenas, muita coisa mudou. Hoje, mais de 1.135 professores índios estão em formação no Estado. E esses povos têm metas ainda maiores.

De acordo com a gerente de Educação Escolar Indígena da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), a tukano Alva Rosa, o Estado conta hoje com 570 indivíduos formados em nível médio e 481 dando aula. “Temos o programa Pirayawara, que forma professores desde 1999”, destacou Alva, que participou, na manhã desta segunda-feira (22), da apresentação do Plano Plurianual (PPA) do Executivo da Secretaria de Estado para os Povos Indígenas (Seind) de 2012 a 2015.

Nesse período, a meta do Governo é ampliar o número de professores com curso superior e pós-graduação; realização de concursos públicos e construção de novas escolas. “Temos 20 escolas em todo o Amazonas, mas a previsão é de que mais 30 sejam erguidas. Estas já estão em fase de licitação”, informou Alva, que é indígena, formada em matemática e que trabalha com educação há mais de 15 anos.

Além da educação, o PPA também prevê ações de preservação cultural. É o caso da criação do Parque Temático Indígena, que deverá ser construído no município de Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus) como uma das referências para a Copa do Mundo e após a competição. O governo já trabalha na captação de recursos a fim de realizar a construção daquilo que deverá ser chamado de “Centro de Desenvolvimento Sustentável dos Povos Indígenas”.

Outra meta é a implantação de energia alternativa comunitária. A medida é resultado do programa “Casas Digitais em Terras e Comunidades Indígenas”, em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e, consequentemente, da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Sect).

Entre as principais ações contempladas no Plano Plurianual estão também a elevação da política de gestão ambiental e territorial das terras indígenas, a comercialização de produtos dessas terras no mercado nacional e o extrativismo mineral.

Todas as ações previstas no PPA estão na pauta da primeira reunião do Conselho Estadual dos Povos Indigenas (Cepi), prevista para o próximo mês de setembro, com a participação das lideranças de organizações indígenas do estado do Amazonas. “O nosso PPA está bem adiantado, mas não está fechado. Ainda teremos essa reunião com as organizações indígenas para melhorar a sua apresentação”, justificou o titular da Seind, Bonifácio José Baniwa.

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s